Noticias  
 
O futuro da mídia
 
Por incrível que pareça, ainda há profissionais que garantem que a internet não mudou em nada os hábitos de mídia.

Nas útimas semanas participei de quatro mesas redondas em diferentes eventos. Basicamente o tema em todas foi o futuro da mídia e novas tendências de comunicação. Fui convidado para um quarto debate sobre o mesmo assunto nas próximas semanas, mas infelizmente não poderei comparecer.

Claro que todas as discussões acabam por abordar o tema convergência de meios e o (importante) papel da interatividade nos hábitos dos consumidores.

Mas, por incrível que pareça, ainda tem profissional que argumenta que a internet não mudou em nada os hábitos de mídia. Pode uma coisa dessas? Tive que ouvir um grande executivo dizer que a internet não impactou a mídia impressa, em especial os jornais, que continuam “atuais como sempre”. E outro poderoso disse que mídia interativa “é perfumaria, coisa de índio que fica tentando vender colarzinho para os outros”.

Eu pergunto:

Será que eles sabem que em apenas 19 dias após o início da comercialização e lançamento do ipod vídeo, foram vendidos 1 milhão de vídeos na loja da Apple com apenas 2.000 títulos disponíveis?

Será que eles sabem que em breve você poderá comprar na internet livros por página? Afinal, para que comprar um livro de receitas inteiro, se quero apenas aprender a fazer brigadeiro?

Será que eles sabem que nos Estados Unidos as pessoas gastam mais com acesso a internet do que com assinaturas de revistas, jornais e TV?

Será que eles sabem que o MSN Messenger tem mais de 10 milhões de usuários no Brasil, enquanto a TV por assinatura tem 3,3 milhões de assinantes?

Será que eles sabem que, segundo a ANJ, desde meados de 2003 o número de usuários de internet supera o de assinantes de jornais?

Será que eles sabem que 18% dos consumidores europeus acessa programas de TV pelo celular no horário de trabalho?

Será que eles sabem que, no Brasil, as pessoas com acesso a internet em casa assistem menos TV, especialmente no horário nobre? E que isso é mais acentuado nos domicílios com banda larga?

Será que eles sabem que, enquanto o jornal de maior circulação tira por volta de 400 mil exemplares aos domingos, o site de comparação de preços Buscapé recebe mais de 300 mil de consultas diariamente?

Será que eles sabem que uma mala-direta registrada de até 20 gramas custa 3,35 reais, enquanto que o custo por clique de um anúncio no Google começa em 1 centavo? Será que eles sabem que a penetração de internet na classe A é de 80%, na B 53%, na C 25% e D/ 11%?

Será que eles sabem que existem comunidades no Orkut com mais de 10.000 pessoas que elogiam ou falam mal de um produto?

Aliás, será que eles sabem o que é Orkut?

Será que eles sabem que o varejo online deve faturar em 2005 em torno de 2,5 bilhões de reais?

Será que eles sabem que a indústria de games fatura mais que a de cinema e que a média de idade das pessoas que jogam online é 29 anos?

Será que eles sabem que para 45% da classe A/B brasileira a internet foi a grande revolução dos últimos anos, enquanto que para 68% da classe C foi o celular?

Será que eles sabem que todo o teor da entrevista do Lula no Roda Viva já estava disponível no Blog do Noblat, no meio da tarde?

Tivo eu sei que eles sabem o que é.

Sabendo ou não, a internet revolucionou o mercado de entretenimento, varejo, notícias e telefonia. E goste ou não, a publicidade como eles conhecem está com seus dias contados, cara pálida

 
Autor/Fonte: webinsider
Data: 6/12/2005

 

Outras Notícias



.:Página 1 de 1:.

 

 

 


 
Desenvolvido e hospedado por enosso Desenvolvido e hospedado por enosso Rua João Cabral, 2686 CEP 64.018-030 Teresina Piauí - Fone / Fax: 86 3229 2636 / 86 9981 6426
fake rolex sale
cartier replica
tag heuer replica uk
hublot replica
rolex replica uk
replica watches
fake watches